Completamos agora 1201 postagens. Engraçado, estou tendo uma mala suêrte desgraçada com números redondos, aqui e no YouTube, mas vamos em frente. Em frente? Sim, tem duas tiras novas no Rosalyn da Turma. E taca-lhe pau, Marcos!

Ei, você aí…

Vix… E Davy Jones já comentou sobre o apocalipse desenhístico neste país destruidor de sonhos. Sai de baixo!!

Quem diria, que, no fim das contas, o ‘desenho animado do futuro’ seria Happy Tree Friends: na Internet e pra adultos…

E que, eu, com o Zicky Zira e o Vergalhão Persa no YouTube, chegaria ao máximo possível no Brasil, agora. E agora, quem poderá nos defender? O Chapolin Colorado?!…

Outra coisa: será que tem mercado pra desenhos animados pra adultos?!

(A propósito, estou neste momento no serviço e não pude assistir ainda o referido vídeo, posso estar falando besteiras aqui.)

Eu já fiz uma piada, lá atrás, em 1995, de um suposto “Leite Mitsubishi”, sem saber que muito provavelmente ele poderia realmente existir, já que a Mitsubishi fabrica de automóveis até canetas - aliás, fui no site da Mitsubishi Corp. e lá diz “produtos lácteos…" - e existe atualmente a marca MC Coffee, literalmente um Café Mitsubishi. Inclusive, a Mitsubishi do Brasil não é representante, é um braço da própria empresa, mesmo.

Aí eu descubro, por acaso, que a Kyocera, tradicional fabricante de copiadoras, detentora dos naming rights da Arena da Baixada e outras coisas - quando eu comecei a usar PCs, ainda em DOS, um dos primeiros softwares que eu usei, o PrintMaster Plus, era deles - também fazia… facas de cerâmica. É more? Muito embora, aparentemente elas não possam substituir facas de metal em algumas aplicações, porquê as cerâmicas não aguentam torção e impactos como o desossamento, por exemplo (vegãs doesn’t aprprove it).
E aqui é barba, cabelo and bigode: só comparando, conheça as melhores facas metálicas do mundo, as Zakharov, produzidas em um determinado país sul-americano de língua portuguesa destruidor de sonhos, mas enfim, é isso aí.

Plantão: KD o nosso barulho pra abafar a crise?

Galerë, me desculpem, Eu TENTEI gravar 3 vídeos hoje, devido a algumas notícias que me incomodaram que eu li no Twitter, e não consegui, porquê eu tive que ficar durante várias horas com computador desligado, pra em seguida sair correndo para ir pro trabalho, pra pegar congestionamento no caminho, aaaaarghhhh! Caramba, como é que era a vida de Walt Disney? Será que ele era órfão?… Eu não consigo nem COMEÇAR nada. E tem gente por aí que nem quer me deixar começar, e isso é o assunto do próximo vídeo a ser hospedado no Vimeo.

Ah, pra completar: o pessoal aqui TÁ COM A MKK, DE NOVOOOO!!! Uma galera tá despejando coisas pra eu fazer com aquele sorriso de “ainda bem que você não sou eu”!!! Operários nipo-brasileiros, que ficam 12 horas por dia apertando parafusos de carros aí no Japão, que inveja de vocês, sinceramente!!

Estou com 3 tiras totalmente encalhadas pro Rosalyn da Turma. Quero pela primeira vez fazer um recorde pessoal tipo 7 tiras ou HQs uma depois da outra, sem nada além disso, como fazem os nossos coëridos concorrentes. E mais, mostrando uns personagens secundários muito importantes que o pessoal não conhece direito por minha culpa, eu preciso me lembrar que vocês não conseguem ler os cadernos nos quais eu desenho… :P

Desde que te acompanho (e já faz tempo), vc tem o sonho que desenhistas profissionais desenhe alguns de seus personagens, e a pergunta que eu faço, pq? É apenas curiosidade de saber como ficaria seus personagens na mão de um artista mais rodado? Ou é para comparar? Ou uma estratégia de divulgação (afinal, se um desenhista famoso gostou dos seus desenhos e o mesmo desenhou, isto pode abrir portas) ou todas anteriores?

A bem da verdade, eu sonhava em ver como seria uma versão “perfeita” dos meus personagens. Só que, recentemente, acho que, por incrível que pareça, o máximo que eu conseguiria seria uma versão alternativa dos mesmos, porquê eu desenvolvi um estilo muito diferente. Então, sei lá…

DEPOIS DE TOMAR UM CHUTE NO MEIO DAS PERNAS, PRECISO VOLTAR A FAZER FONTES

O FontSpace está sendo meio que dominado por 1) um pessoal que fez 293489 fontes nos anos 90, nenhuma que tenha me chamado a atenção o suficiente, mas estão subindo todas pra lá; 2) um mesmo alemão que faz 20394 fontes estilo Script mas são muito limitadas, e são apenas para uso pessoal; e 3) um outro pessoal que faz fontes sensacionais, mas apenas as disponibiliza como demo (A-Z, a-z, e 0-9 se eles acordarem de bom humor). Os três, pensando na direção oposta à minha, quando eu fiz uma fonte de HQ com acentuação completa em Unicode, cobrindo até idiomas que sei lá se tem computadores neles, como o maltês. E tem um quarto que está floodando o FS com fontes em monografias árabes. É, precisamos voltaire

O nosso perfil no FontSpace está aqui.

#XÔZICA! Vamos virar esse jogo

Assine os nossos canais no YouTube! IBRS121, o canal que eu faço sozinho desde 2013, e Zíper nas Costas, um canal semi-underground sobre desenhos, personagens e algo mais. Como diria Ciro Bottini, "assinem, assinem, assinem!" Vamlá, gente, teve uma época que eu nem queria saber de YouTube mais, agora eu estou em triplo se contar a /tvsaltcover!

Seis graus de separacción - Isto non ecsíste! E falando em inglês…

Eu ia falar, faz algum tempo, dessa história, em blog ou mesmo em vídeo. Mas, segundo consta, isso não existiria - é o que me disse, pela primeira vez, o E-Farsas. Uma pena, porquê eu teria uma série de exemplos para dar, como por exemplo, o fato mega-inesperado para todos vocês de que a pessoa para quem eu trabalho já conheceu o Pelé pessoalmente e bem mais de uma vez. E por aí vai.

Falando em vídeos. O próximo vídeo do Zíper nas Costas, que está sendo editado, é em inglês e legendado em português. Já escrevi muito em inglês na Internet, mas nunca falei tanto em inglês na minha vida. Troquei uma palavra ou outra com eventuais estadunidenses que às vezes aparecem no meu serviço, e olhe lá (acho até que acertei quando disse ‘excuse me’ a meio metro deles, uma vez…) Inclusive, às vezes foi duro. Numa vez que isso aconteceu, em 1999, eu demorava 1 minuto e meio pra “traduzir” o que eu queria dizer para eles…
Mas mostrar pontos de vista e tudo o mais, foi a primeira vez. E, certamente, virão outras. Quem acha ruim, fale isso pras escolas de idiomas e para os executivos de grandes empresas que exigem, em propostas de emprego, que as pessoas falem em inglês… Sim, tem gente que acha ruim o La Fênix fazer um canal internacional, mesmo tendo tantos contatos no exterior, como os grupos “filhotes de Jackass” Nub TV e Children of Poseidon! Eu acho sensacional, descurpa aê.

Igor direitista? Essa é nova. Temos um seguidor do Olavo de Carvalho? hehehe Mais uma pergunta indiscreta: como era o seu desempenho na escola?
Anônimo

O pior é que há uns 2 anos (por causa daquele lance de fim do mundo em 2012) eu realmente ouvia aquele programa, True Outspeak, mas parei… estava ficando estressado demais, não sei se com síndrome do pânico. Resolvi ser um alienado pheliz… :/

Rapeize, na escola, eu era bem mais ou menos… acho que até em educação artística eu não era bom. Desenhava muito nos cadernos, mas já no colegial, quando não tinha mais educação artística… o vício perdurou até mesmo no cursinho, faculdade e no Senac… Educação Física, que a galera geralmente gosta, pra mim era o terror. Nos anos 80, acreditava-se que todo ser humano, inclusive os mais gords like me, era um Papa-Léguas em potencial, o que eu sabia que não era verdade…

Tudo isso, não sei se por conta da escola também, era uma escola (particular, como todas as q eu estudei) com métodos de educação um tanto diferentes. Os professores discutiam os resultados das provas com o diretor, considerando outros aspectos além do desempenho nominal da prova. Mesmo assim, ao contrário dos meus colegas, nunca repeti o ano, e o máximo que aconteceu foi eu ter pego 4 recuperações, as quais tirei de letra (se fosse assim com as instâncias posteriores do ensino…)