Só de birra, vou querer um carro de 16 portas

Vendo artigos sobre carros na Wikipédia eu só queria saber porquê, em vez de eu sujar fraldas, no final dos anos 70, eu não fazia campanha a favor de carros de quatro portas. Ao contrário dos turrões motoristas brazucas, esse pessoal que não quer comprar série limitada de número 24 e 69, só compra carro preto vermelho e prateado, e nunca gostou de teto solar, SEMPRE eu quis ter um desses. Não via sentido em inclinar o banco da frente, sair do carro era um parto para mim, que naqueles tempos era pequenino, imagine hoje (nunca me deixavam sentar no banco da frente. Bom, na verdade, não é tão difícil de imaginar. Outro dia eu vi uma Variant I na rua, e para minha surpresa, o carro veterano era mais estreito do que o carro moderno onde estávamos, da Honda.)

Carros como Brasília, Passat e Chevette eram feitos com quatro portas, mas essas versões eram todas exportadas. EU COMPRAVA!!! Algumas pessoas, apesar disso, conseguiam obê-los. O saudoso diretor do colégio onde estudei tinha um Passat 4 portas, e um político polêmico (Lord Pimpão) mostra no YouTube uma Brasília de 4 portas.

CADÊ VOCÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊ(arff)ÊÊÊÊÊÊÊÊ

Devido a mente fértil de umas 3 pessoas, eu estarei ocupado hoje, sexta, e amanhã, sábado. Dá vontade de ser servente de pedreiro no Japão.

FINALMENTE alguém teve a idéia de digitalizar esse tipo de letra que eu cansei de ver em mais de 30 livros que eu li nos anos 80.
Ou talvez até mais do que isso: um folheto de um concerto de uma pianista que eu assisti era feito com essa fonte e tinha um erro estranhíssimo, dois caracteres sobrepostos, como se em vez de tipografia, aquilo fosse uma máquina de escrever proporcional (ter uma dessas era meu sonho de infância mega-jamais realizado, ao lado de ir nos programas infantis do SBT e de produzir vídeos com gerador de caracteres nos anos 80).

UPDATEZAÇO - Outro lugar extremamente comum de se ver esse tipo de letra eram rótulos de discos de vinil !! E etiquetas de cassetes de gravadora. (O chato, pra eles, é que eu devo ter uns 3 entre mais de 300 fitas, sendo que dois foram comprados com os próprios artistas, mas segue…)

Essa é uma versão da Univers, criação de Adrian Frutiger, com alguns caracteres mais condensados que os outros, e curiosamente essas diferenças acabam dando certo. No catálogo da Letraset, esse tipo de letra só era oferecido em transfers com o texto Lorem Ipsum, para simular um texto visto de longe, e era chamado de Univers Light, sendo que esse é o nome de outra fonte bem mais ‘normal’ de se ver por aí.
E curiosamente, quase mais ninguém fazia esse lance de algumas letras serem mais estreitas. Uma das poucas fontes que se parecem com essa é um tipo de letra sem nome que aparece espontaneamente no Adobe Illustrator e Adobe Acrobat, substituindo fontes não instaladas.

Era um dos meus projetos seguintes ao projeto Coverface, agora não mais e posso me dedicar a criar fontes mais originais-ais-ais. Se bem que essa fonte também tinha uma versão slab serif, ainda mais rara…

Outra fonte que era febre nos anos 80 e quase sumiu era a Garamond, que hoje circula com o nome de Amsterdamer Garamont, com T no final - todas as outras Garamonds por aí (com exceção de Simoncini Garamond e Stempel Garamond, idênticas as usadas em suas épocas, e da modernosa Apple Garamond) não dão nem pro cheiro.

No canal Zíper nas Costas, explico uns paranauês de uns breghets que andaram acontecendo aê. Como não tem a ver com personagens e desenhos, vai neste Tumblr mesmo.
PS: o visual do canal não mudou… é que eu não achei o logo original e o Inkscape tinha marcado essa fonte (Zurich Black Extended), então, na pressa, fiz uma série de thumbnails personalizadas, curiosamente o YT começou a ‘insistir’ para que eu as fizessse.

MADEIRAAAAAA

Parece que chegou ao fim o canal Papo com o Machado. Mais um canal vítima das recomendações do IBRS121 ?… Esse estava lá em cima, na frente do JNCD, do Zé Graça e do Não Famoso!

image

Eu ainda não assisti ao vídeo no qual o ator e dublador explica os motivos que levaram ao fim do canal. O fato é que abriu-se uma vaga em um dos panteões menos cobiçados desse webão-véio-sem-portêra-e-que-continue-assim.

De resto, um abraçasso, Nelson Machado e tudo de bom pra você, sempre! E dubladores, não sumam, a Turma da Rosalyn precisa de vocês.

Nada melhor de se fazer as 3h40 da manhã do que zerar a vida. Obrigado, Blender!

Baseado em uma antiga ilustração de Jen Seng.

Phalece pai intelectuar de Sharon Spitz, o verdadeiro Sorriso Metálico…

HrRrRecebemos a comunicação de que faleceu um ator, septagenário, que fez uns filmes aê em Roliúde. E que não passava despercebido quando aparecia: Richard Kiel. Vilão em alguns philmes do James Bond, com passagens inclusive pelo Brasil, Kiel tinha um porte phísico ligeiramente avantajado, com 2m20 de altura. Só pra vocês terem noção, a maioria das portas de madeira vendidas nas lojas de materiais de construção tem míseros 2m10, e muito provavelmente, as da sua casa devem ser assim.
E tinha uma época em que, na Sessão da Tarde, andavam passando uns filmes chineses ligeiramente trash, só me lembro que um dos atores era careca, e o “The End” era um GC colocado pela Globo, provavelmente o original seria em chinês. Bem, me lembro que Kiel estava em um desses filmes, e certamente era a participação especial mais ilustre que eles tiveram naquela série.

Porquê estou falando dele se eu nem sou Bond-maníaco? Bem, a existência dele foi o que me inspirou a fazer alguns personagens meus, que são mais ou menos assim - não vejo nada parecido por aí, porquê os profissionais costumam se prender ao layout de design por ‘x cabeças de altura’, e eu faço os meus personagens de maneira diferente (tremidos, desproporcionais e ilegíveis, mas segue). Se bem que Kiel não era apenas alto, mas era ‘largo’ também. Enfim.
Fora a minha experiência própria. Não tenho sequer 1m80, mas a minha mãe me trata como se eu tivesse 3 vezes isso… E por conviver muito com pessoas mais baixas do que eu (tem umas de lascar, devem ter 1m30), acabo meio que entendendo o que acontece com essa galera que perguntam se tá mais frio aí em cima, entre outras coisas (como mostra o curta youtubístico “Você Deveria Jogar Basquete”).

Preocupante: o nosso futuro também está sem futuro?…

É POSSÍVEL FAZER DESENHOS ANIMADOS NO BRASIL COMO SE FAZ NO JAPÃO? MUITOS, COM QUALIDADE E SEM MAIORES QUESTIONAMENTOS?!

Um dos melhores episódios do Pica-Pau moderno, na minha opinião, é aquele em que Zeca Urubu faz PP acreditar que está viajando de férias à “Polinésia Alemã” - na verdade é tudo no terreno da casa do Pica-Pau e eles nem saem do bairro…
Well, uma holandesa fez isso para os amigos - mas, à la Facebook, para mostrar como as pessoas podem ser enganadas pelo que pode mostrar a Internet. É mole?

Não pensa em reativar o site Tinha que ser o Chaves? /irbf3010
Anônimo

Pois é. O site em questão era um site de hospedagem gratuita. Infelizmente eu não sei onde encontrar esse tipo de site (tenho até um ou dois fornecedores nos bookmarks), mas tá difícil. Não sei por quê motivo o site saiu do ar, sem aviso algum para mim. Ainda tenho todo o site armazenado no computador. O blog Tinha que ser o Chaves, hospedado na Wordpress, como tudo o que eu fiz por lá, ainda existe (e lá, agora que eu vi, tem mais detalhes sobre a saída do ar do T!)

O que acontece é que praticamente todos os sites CH da atualidade tem domínios próprios. Infelizmente, não possuindo cartão de crédito (sequer nacional), não posso ter um desses. Existem hospedadores brasileiros que aceitam pagamento por boleto, mas com esses certamente haveriam limitações de largura de banda, tipos de hospedagem não permitidos (swf, mp3, flv…), sei lá. Ou upload só via WWW, entre outros aperreios. E olha que em 1998 eu já tive um site - na Angelfire, se não me engano - onde eu precisava subir UM f%cking arquivo de cada vez… Bons tempos.
O site da Salt Cover foi feito por terceiros (bom, segundos, a Patsy Pepper) que manjam bem mais desse assunto.

Ainda quero ter um site para os meus personagens, como tem a concorrência… (1), (2). Talvez o Tumblr Staff responda: “Ei! Tumblr é um site!” Bais ou bêdos, bais ou bêdos...