A NGT não é de uma fundação católica, apenas a concessão foi para tal fundação, mas a emissora é da Mectrônica, uma fábrica de antenas de São Paulo. /irbf3010
Anônimo

Dessa da fábrica de antenas eu não sabia mesmo! ( site - http://www.mectronica.com.br/ )

KD os vídeos, seu ignóbil?

As críticas pesadas de um assinante (ou não, enfim…) do ibrs121 - pra quem AINDA não sabe, o meu canal ‘solo’ no YouTube desde o final de 2012, dedicado a vlogs - já estão causando um efeito colateral. Dâmmit.

Cinco vídeos foram gravados e editados, mas não foram pro ar, porquê eu não achei bons o suficiente… Um deles eu pretendo regravar amanhã ou depois, porquê alguém teve uma idéia de trabalho para me manter amarr… digo, ocupado no final de semana.
O tema? Japão. Lembra que um vídeo começou de forma estranha, com eu tomando uma Coca-Cola e dizendo ‘itadakimasu’ (aprendi com o Japão Nosso de Cada Dia)? Foi engano, era o começo de outro vídeo….

Enquanto isso o Mítico Jovem já fez vlog deitado de lado na cama e com uns 18 dB berrando nos sensores da câmera. KD o pessoal atirando cadeiras no monitor?…

Também sinto que estou devendo vídeos pro Zíper nas Costas. Ultimamente, com eu conseguindo fazer mais HQs no Rosalyn da Turma, sinto uma resposta muito maior do público em geral do que do nosso qüérido público mais específico… Sacanárre, aê! Vamos reagir ou não?

A situação tava tão braba que eu até disse que ia comentar um lance da política brasileira atual no Vimeo, e nem isso eu consegui. O meu medo, no entanto, não se concretizou, e a pessoa sobre a qual eu iria falar se colocou em outro lugar.

E DEPOIS FALAM DO WEBDRIVER TORSO
Achei, por um tremendo acaso, através de um comercial antes de vídeo, um canal no YouTube muito estranho - um canal satírico muito bem produzido, apresentado por bonecos de pano, chamado Rede Ovo. (Sinto mais lacerações no conceito original da Salt Cover, mas enfim…)
Parece uma versão em tecido de programas como o português Contra-Informação, ou quase… (sem 1/5 do elenco de lá).
O que eu acho estranho é que não se sabe a que esse canal vem, quem estaria por trás dele, porquê ele também satiriza acontecimentos da política brasileira, de uma maneira que não se faz mais desde que os Cassetas foram pescar no interior. Não sei se esse canal é político, por exemplo. É um desses mistérios curiosos - que nem também o que foi o canal de televisão NGT, um canal muito bem produzido, com uma boa grade de programação e com poucos horários vendidos, que demorou até que se descobrisse que ele era de uma organização católica.

FMs anãs e carros do passado que não passaram

A Jovem Pan AM vai transmitir em breve, em caráter de testes, em 84,7 FM. Mas os rádios da galera começam em 88 Mhz, e ninguém está dizendo o que a gente tem que fazer. Será que tem algum parafusinho mágico que desaperta e pega desde os 76 Mhz? Alô, Robson Sato!
(O pior é que o meu celular tem FM e, com o circuito integrado miniaturizado, nada há o que ser feito nesse sentido…)
A faixa de 76 a 88 Mhz era da TV analógica. Não achei mais informações, mas aparentemente, rádios e walkmans feitos para o mercado italiano pegariam frequências mais baixas do que 88 Mhz, a questão é: quem tem um desses?… E há uns poucos rádios de carros que permitem ouvir o áudio dos canais 5 e 6 VHF, mas isso é muito raro.
Descobrimos, depois de escrever o texto, que no Japão, o FM vai naturalmente de 76 a 90 Mhz, portanto, um rádio japonês serve, né? Em termos: a própria Jovem Pan FM (100,9) ficaria de fora. O que será que este fabricante acha de tudo isso?…

E a outra informação que me surpreendeu, e que não tem nada a ver com rádio (bom, talvez nos painéis dos carros deles) é que durante uma das nossas intermináveis renderizações e/ou codificações de DVDs, eu fui procurar informações a respeito da Karmann-Ghia, e descobri que a empresa… nunca deixou de existir! Inclusive tem site e tudo: http://www.karmannghia.com.br. É muêle? Pesquisava sobre uma geração de carros que não é da minha época, dos tempos de Variant de frente alta e 1600 quatro portas. Também não sabia que eram eles que fabricaram o Escort XR3. Mesmo assim: Céus, peguem a Karmann-Ghia e nos devolvam o Mappin e as Lojas Eldorado, blz?…

Chapolin saiu do ar no SBT em rede nacional por causa de um horário poiítico, em 2002. Quando o horário acabou, a série Um Maluco no Pedaço ocupou seu lugar, e por bastante tempo (e o pior, ainda tem temporadas inéditas, no final da série a casa tinha mais uma empregada além do mordomo Geoffrey, e o caçula Nick Banks já aparece mais crescido - pra quem ‘não gostou’ da série, acho que eu até vi demais, né? rsrsrs).
Aí o mundo dá muitas voltas, e agora, na transmissão ao vivo do SBT, durante o horário político que começou hoje, vai ter… Chapolin! Sério, tá na home do site! Aproveitem enquanto o pessoal não fica sóbrio de novo!!!

CADÊ VOCÊ, SEU IMPRESTÁVELllLLL???

Graças a um certo excesso de generosidade dos meus patrões, eu fiquei envolvido em um evento que vai tomar todo este sábado. O sábado é a minha segunda-feira, incrível.

Eu gostaria de TENTAR pelo menos fazer alguma espécie de vídeo hoje, mas não sei se eu vou conseguir.

[UPDATE: 22h06. Diziam que as atividades iriam encerrar-se as 22h. O fato é que neste momento, estou tentando subir um pequeno vídeo que consegui gravar hoje.]

La Resistance Santiste? Santos F.C. multiplica mascotes em época perigosa para os mesmos!…

E agora, embolou o meio de Campos, digo…

Eu podia escrever 0238949 linhas neste blog, mas não estou inspirado e estou no meio de um trabalho. Já já, a respeito desse assunto, mais um Vimeo.

Uma coisa, nada de “tela azul” no horário político correspondente: uma regra do TSE diz que, no caso de falecimento, candidatos podem ser substituidos a qualquer momento, por qualquer outra pessoa filiada à coligação do falecido (d’oh, dos seus adversários políticos!). Bem, resta saber quem assumiria esse posto. E eu já começo a ter calafrios, por alguns motivos…

Fusca, uma prova de que eu sou velho, mas não tanto quanto deveria…

Vamos falar sobre um assunto pouco abordado por mim na Internet: automóveis. Já passei da época de ter um. Tive um colega de escola que ganhou um carro do pai aos f%cking DEZESSEIS ANOS. Hoje eu tenho idade pra ser pai de uma pessoa com essa idade, mas carro… Talvez, quando finalmente conseguir chegar lá, talvez bombe no exame de vista, sei lá…

Quando eu era criança, os carros que rodavam pelas ruas não eram os de hoje. “D’oh, eles davam a partida com a manivela na frente, né?” Não, gafanhoto-san, nem tanto. Na realidade, eram muito menos tipos e modelos de carros - mesmo quando eu não tomei conhecimento dos VWs SP2 e 1600 - mas eu vi TLs e Variants I, carros parentes do 1600.
Então, dava para uma criancça como eu saber quase todos, com raras exceções, como Dodge Polara e Willys Rural, mais difíceis de serem vistos, mas que estavam por aí, além de Galaxie e Landau. Também não me lembro de ter visto caminhões FNM, sério, os que eu me lembro já eram Mercedes.
Já andei de Fiat 147, sem encosto de cabeça nos bancos da frente, e em um Landau, eu acho, com banco inteiriço na frente. Ah: já tomei coças de condutores de Kombi escolar por usar as aletas do painel da versão mais antiga da Kombi como reco-reco…
Quanto aos Ford, meu pai teve um Corcel 1, e os Corcel 2 conviviam harmoniosamente (aliás, fui ver a foto de um Corcel 2, lançado em 1978. Kctada, esse carro não envelheceu, eu ainda teria um desses!) Um carro que foi lançado bem no auge das minhas lembranças e que eu até andei nele foi a Variant II, um carro que durou só 3 anos e que nele haviam aquelas rodas da família BX (Passat, Gol, Santana, Parati, Voyage e Saveiro) que pareciam uma fôrma de pudim com furos quadrados, sei lá… e que pareciam não combinar com o jeitão mais antigo do carro.

Mas, 40 linhas depois, o que eu ia falar é sobre o querido phusca. Após ver uma série de vídeos no YouTube (engraçado é que eu não dirijo e não entendo de mecânica, mas eu vejo assim mesmo, sei lá), e depois de ver alguns deles em exposição no Shopping Metrô Tatuapé, eu pensei: caramba, eu sou velho, mas nem tanto. É que os fuscas favoritos dos colecionadores são muito diferentes daqueles que eu vi até a produção ser encerrada em 1986.
Uma das coisas que me chama a atenção é que os fuscas que os colecionadores curtem tem pequenas lanternas vermelhas - e muito frequentemente, a janela traseira dividida. Já os que eu conheci por aí e/ou andei neles já tinham lanternas ovais com seta (laranjas) e luz de ré, e principalmente de três formatos diferentes, um oval, outro que era reto embaixo e o famoso Fafá de Belém, e os pára-choques também foram mudando, o do primeiro ainda tinha uma ‘cerquinha’ nas laterais. Além, claro, de uma janela traseira mais convencional. Enfim, esses que a galera mostra com orgulho não são os fuscas dos quais eu me lembro.
OK, falar sobre isso em texto é meio chato. Aguardem ilustracciones. Mas se você é fã mesmo do carro, deve ter ilustrado tudo com sua própria mente. Fuscas permitem isso…

PS: Me lembro de um fusca vermelho, que vi estacionado - inclusive era na rua Chris Tronbjerg, a “rua que eu vi nascer”, sobre a qual falei no Blog Oficial da Salt Cover - que me chamou a atenção pela tiração de onda, o cara colocou apliques de carros mais novos da VW dizendo 1.8 - oficialmente, os Fuscas mais potentes tinham 1.6, ou 1600, como era dito na época.

O nucleo do Bio Object foi abandonado?
Anônimo

Está apenas esquecido. Aliás, obrigado pela lembrança, lembrar de Bio Object para mim é como os fãs do Maurício de Sousa perguntarem pelo Teveluizão… Está nos nossos planos colocar [no Rosalyn da Turma] de quando em vez alguma tira ou HQ com outros núcleos de personagens, como o pessoal do Zicky Zira, e agora, Bio Object.

Você acompanha o Fórum Chaves? Sou membro lá. /irbf3010
Anônimo

Ando meio sumido do meio CH (meio? Sete oitavos, mas enfim), mas frequentei muito o FUCH (em eras remotas da história da humanidade chaval) e um pouco o FCH na época da polêmica do Chocolate e Chalouco.

EDIT: Estou ligeiramente perplexo como eu não disse nada até hoje à respeito de Thomas Henrique (1988-2013), que me cumprimentou e tudo nos dois eventos do Chilango (2008 e 2009) e no evento do Mart Center (2010), onde ele conheceu Vivar e Villagrán. Não sei se talvez algumas pessoas tivessem me tomado por insensível por isso, peço desculpas. Demorei pra ligar o nome à pessoa, nem sabia o nome dele nos eventos. Thomas foi um dos responsáveis por criar uma lista de episódios de Chaves e Chapolin que é referência até no exterior. No tópico do FCH, diziam que ele brigava com alguns, não sei. No Chilango, ele disse ser meu fã. ‘_;  É… não é fácil. Alguns desembarcam no ônibus da vida, outros seguem em frente. :/